Processo seletivo!


Pessoal, já há algum tempo queríamos contar para vocês como foi nosso processo seletivo e, pensando muito, acho que nada melhor do que duas pessoas que participaram dele contarem para vocês, cada uma com a sua perspectiva!

Então vamos lá, com vocês: Fernanda e Thaís!

--

Ser voluntário. Cada um tem uma experiência para compartilhar como voluntário, ou uma definição para a palavra! Para mim, Fernanda, o voluntariado não é somente ter o status de voluntário, mas exige que o seu ser esteja presente. E é com dedicação, amor e disposição para lutar por uma causa que você julgue nobre ou imprescindível que você se debruça nela e se dispõe a trabalhar.Começo esse texto dizendo isso porque na seleção 2012 de voluntários do Greenpeace (a primeira da qual participei depois de nove meses fazendo parte do grupo), essa era praticamente a única pergunta que eu conseguia fazer para os candidatos a novos voluntários do GPBH: para você, o que é ser um voluntário?

Essa seleção me fez refletir muito sobre essa pergunta, pois quando você se dispõe a ser voluntário, essa é uma atitude que não é qualquer coisa. E foi a partir desse evento que eu também passei a construir mais um pouquinho desse voluntário dentro de mim. Portanto, acredito ser imprescindível refletirmos sobre essa questão a cada dia, e colocarmos esse item como um ponto de interrogação na mente de cada novo voluntário.

É claro que o ser voluntário não nasce de um dia para o outro, é um processo complexo, que vamos construindo dia a dia. Aí, esse voluntário nasce, vai crescendo, crescendo, e, ou ele deixa essa pulsão morrer com a primeira crise existencial de sua adolescência no voluntariado, ou, ele deixa se firmar adulto, se “reproduz” e vai formando uma teia que não se desfaz, mas cresce gerando novos frutos.

Acredito que novos frutos surgiram nesse processo seletivo, e o nosso maior desejo é que eles cheguem à maturidade do voluntariado e não parem de agregar novas experiências ao grupo de Belo Horizonte. Thais Freitas, é um desses frutos que surgiram e é ela que vai falar um pouquinho aqui pra gente da sua experiência no processo de seleção 2012 do Greenpeace/BH. É com você Thais!

Em meados de 2011 decidi atuar de alguma forma na área ambiental como voluntária. Seguindo a indicação de um amigo, fui procurar saber mais sobre o Greenpece e fiquei admirada com o modo como a ONG atua, de modo que logo me inscrevi para ser voluntária.

Fiquei surpresa com o rápido convite para participar do processo seletivo e mais ainda com o resultado positivo. O processo seletivo foi digno de grandes empresas, envolvendo dinâmica e muito diálogo para nos conhecermos. O que me deixou intrigada foi a pergunta que tanto foi feita neste processo: O que é ser voluntária? De fato havia me proposto a tal, mas confesso que não tinha um conceito formado do “Voluntariado”.

O Péricles, um dos veteranos que participava do processo definiu muito bem. Em outras palavras: não é ceder o tempo que temos livres (como já havia feito em outro trabalho voluntário), e sim nos dedicarmos aos imperativos de uma causa em que acreditamos quando esta causa requerer. É desocupar um tempo para se dedicar àquilo. E esta dedicação já me trouxe bons frutos, principalmente poder aprender com meus colegas voluntários e poder estar no meio de pessoas tão dedicadas e engajadas em mudar o futuro do nosso planeta!!! Só agradeço pela oportunidade!!!!

(Por Fernanda Araújo e Thaís Freitas, duas queridas do grupo de BH)

4 comentários:

Cláudia Braga disse...

Parabéns Fernanda e Thaís pelo belo texto. Vocês conseguiram traduzir bem em palavras sentimentos que nos motivam e nos movem para um trabalho nem sempre fácil, mas imensamente gratificante. Parabéns ao Grupo de Voluntas que mora no meu coração.

Beijo enorme!

Claudinha

Bárbara Rubim disse...

Claudinha, você sempre vai ter um lugar mais que especial no grupo de BH! Saudades eternas!

Alexandre Siqueira disse...

Parabéns ao grupo pela determinação e empenho. Fui voluntário no lançamento do Grupo e sei como é árduo o trabalho, porém gratificante quando percebemos o início de alguma mudança em prol da vida....de nossa sobrevivência. Abraços e bom trabalho.

Alexandre Siqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.